Gestor da NBA faz palestra na Trevisan RJ

Publicado em: 28/11/2016

A Trevisan promoveu na unidade Rio de Janeiro uma palestra  sobre a maior liga esportiva do mundo. Com 1 bilhão de fãs ao redor do mundo, a NBA (National Basketball Association) recentemente estabeleceu escritório no Brasil com vistas a ampliar sua atuação nos mercados latino-americanos. “O objetivo é colocar novamente o basquete como esporte número 2 do brasileiro”, disse o palestrante Arnon de Mello, VP e Diretor Geral da NBA para a América Latina.

Uma das principais ações da empresa foi de a de se associar com a liga de basquete local, a NBB. Desde então, o campeonato ganhou em audiência, visibilidade e atratividade para patrocinadores. “Antes, passavam na televisão dois jogos de basquete por semana”, disse Arnon. “Atualmente passam de 12 a 14 jogos.” Além disso, a NBA pretende explorar mais o interesse do público brasileiro pela liga norte-americana realizando jogos com seus times em solo brasileiro e levando clubes locais para excursionarem nos EUA. Segundo ele, com exceção dos jogos do Flamengo, cerca de metade do público que vai assistir aos jogos da NBB usam camisas de times da NBA. Um outro fator que impulsionou esse interesse é a quantidade crescente de atletas brasileiros jogando a NBA: “ hoje o Brasil é o segundo país estrangeiro que mais têm jogadores na Liga”.

Em linha com este planejamento estratégico, a NBA lançou a sua primeira loja própria no país na Barra da Tijuca e promoveu a NBA House durante os Jogos Olímpicos do Rio 2016. “A receptividade do público foi muito acima do que esperávamos”, disse Arnon. “Pessoas chegavam a ficar seis horas na fila.” Usando de ativações inovadoras e criativas, a casa foi eleita como a melhor dos Jogos, atraindo um total de 80 mil visitantes.

Por fim, Arnon destacou a importância de se caminhar para o modelo de Ligas profissionais na gestão esportiva: “as confederações deveriam se ater ao desenvolvimento das categorias de base e à organização da seleção nacional”. A liga norte-americana pertence aos 30 donos das franquias dos times, cada um com a mesma participação e 90% da sua receita é oriunda da venda dos direitos de transmissão do seu campeonato. “A NBA é hoje muito mais uma empresa mídia do que uma liga esportiva”, disse Arnon.

Este evento fez parte do ciclo de palestras em Gestão do Esporte que acontece na unidade do Rio de Janeiro. A Trevisan atua há 15 anos em programas de formação, desenvolvimento e atualização profissional para a indústria do esporte. Veja aqui os cursos: http://www.trevisan.edu.br/gestao-do-esporte